10.9.12

Bicicloteca - Biblioteca em bicicletas com computador e internet sem fio

bicicloteca Pça patriarca

Liga essa idéia mil graus, uma biblioteca itinerante com livros grátis, montada na garupa adaptada de uma bicicleta, com computador e internet sem fio wi-fi pra banca colar e se jogar usando smartphone a milhão. O site Infosur Hoy mandou um salve em 18/11/2011 - Bicicloteca leva literatura às ruas de São Paulo - que a correria nasceu da idéia do tiozinho ex-morador de rua Robson Mendonça e de Lincoln Paiva do Instituto Mobilidade Verde IMV. Milianos, o jornal Folha de São Paulo tb pagou um pau e o blog Livros Só Mudam Pessoas fez um copy paste da matéria em 28/7/2011: “Bicicloteca” empresta livros para moradores de rua em SP .

No fim do ano passado a banca teve o dom de lançar a biblioteca na bike elétrica com livros,  computador e acesso internet wi-fi, liga nóis o post em 19/11/2011: Entrega da nova Bicicloteca elétrica com computador e internet wireless. No começo do ano, em 18/2/2012, teve conversinha pra formar o bonde e cair pra dentro em mais uma pá de cidade espalhadas pelo Brasil, vai vendo o post no blog Cidade Que Queremos: Bicicloteca lançará edital para novas unidades em todo o Brasil.

A idéia do Bicicloteca é ligeira e 1-2 tem maluco reproduzindo, fazendo a fita parecida e levando pra frente, pedalando e incentivando a leitura, tipo o Binho do blog Biciclotecas.


-> Arquivo: 8.9.2011 : Curso de chinês de graça para estudantes da periferia
-> Arquivo: 13.7.2011 : Livro Ttsss... A grande arte da pixação em São Paulo pra download grátis 
-> Arquivo: 28.9.2006 : Recicle1Político 3.0, nós vencemos!
-> Arquivo: 28.9.2006 : Biblioteca na casa do pedreiro em São Gonçalo/RJ
-> Arquivo: 30.8.2006 : Vencedores do concurso de design para carrinhos de sem teto
-> Arquivo: 19.5.2006 : Café da manhã ambulante, temporário e autônomo em São Paulo 
-> Arquivo: 10.4.2006 : Casa de vestir, roupa de morar
-> Arquivo: 21.3.2006 : Barraca móvel para sem-teto na Bienal de Arquitetura 2005
-> Arquivo: 17.3.2006 : Livros copyleft feitos com papel e papelão reciclados
-> Arquivo: 13.1.2006 : Concurso gringo de Carrinho para sem teto ou catador de recicláveis
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Livros, Bicicletas e Tablets

Re: Meta Reciclagem, Agente Cidadão, etc

celular tijolo

Msg sobre reciclagem e celulares na Lista Metafora 10 anos atrás.

Re: Meta Reciclagem, Agente Cidadão, etc

16.12.2002 - Falai' metaforas,

Felipe Fonseca escreveu:
Outra coisa, e por isso estou copiando o Aldrin e o Albertão aí: caras, o que que dá pra fazer com um celular doado? O Ike falou que tem um monte de gente que não sabe o que fazer com seus celulares parados, mas ele n‹o tinha certeza sobre aceitar as doações de cells. Dá pra reaproveitar? O que sugerem?
Sei la', posso estar noiando, mas se pam essa paradinha de celular tijolao obsoleto chegar com sms, pode virar parte de alguma aplicacao automatizada de uso integrado e coletivo em vez de servir como instrumento de transmissao de voz de uso individual.

Passa um pano se a ideia for tecnicamente inviavel, ta ligado q nessa historinha de engenheiro nem tenho o dom. Mas imagina tipo uma perua lotacao com mandando sms toda vez q passar por tal ponto da cidade, neguinho usuario se cadastra em algum numero ou site e recebe a msg qdo os dados ponto x horario q ele pedir se cruzarem. Se pam um servidor faz o meio de campo...

Ou tipo aquele raciocinio de vending machine, neguinho manda um sms e a maquininha libera o produto. Ou tipo um device de input de informacao, neguinho digita qq coisa e o sms manda os dados pra um decodificador...

Resumindo, encarar o aparelho celular como uma parte de uma solucao hardware e software maior e de interesse coletivo, o celular doado entra no miolo da maquina maluca e fica so' no sapatinho. Demorou.

Fui, nem me viu!

\//
Tupi


Re: Re: Meta Reciclagem, agente Cidadão, etc

17.12.2002 - Falai' aldrin, metaforas,

Aldrin Leal escreveu:
Alguém falou sobre sistemas SMS. É possível, mas depende da infraestrutura: A operadora permite que o seu telefone possa ser operado pelo micro, de modo que o mesmo possa passar mensagem automaticamente? As de TDMA n‹o. Se o telefone não puder enviar, tem que ser feito pela operadora. E isso inclusive é oferecido como um serviço por eles. E isso significa receita pra eles.
Paguei um pau, sms ate' umas horas, se pam ate' e' mais barato uscambau.

Alem daquela conversinha q versei na msg anterior
http://br.groups.yahoo.com/group/metafora/message/5598


tive outra ideia maluca pra aplicacoes sms coletivas pa', liga nois tipo um servico online unindo recicladores (carroceiros, catadores de papel, latinha e pvc) e neguinho q quer doar esse lixo reciclavel. Vai vendo, sangue bom cola num site, preenche um form da qtd, materiais, local e hora q quer doar e o site manda um sms pra mao do mano q tiver fazendo a correria mais proxima daquele cep, avisado desse jeito pode ir fazer o catado no predio do truta. E' daquele jeito :-)

Se essa paradinha funcionar, tem q ter o dom de distribuir os celulas e treinar o esquema, se pam em coletivo com a operadora de telefonia e cooperativas de catadores tipo a coopamare.
http://www.uol.com.br/aprendiz/designsocial/coopamare/


Fui, nem me viu!

\//
Tupi


-> Arquivo: 1.8.2012 : Re Merchandising
-> Arquivo: 1.8.2012 : Assistindo TV digital no iPhone e no iPad com Tivizen
-> Arquivo: 3.7.2012 : Reflexões: Capítulo "Dos Celulares Pré-Pagos e Pós-Pagos"
-> Arquivo: 3.7.2012 : Metáfora remunerada
-> Arquivo: 1.8.2011 : Re: The Revolution Will Be Webified  
-> Arquivo: 28.9.2006 : Recicle1Político 3.0, nós vencemos!
-> Arquivo: 1.6.2006 : Tupiconomics #6 - Por que o brasileiro prefere dar ou jogar fora do q vender um produto usado?

Re: Ganhando uns trocos blogando

Reboot State at End of Blogathon

Msg sobre modelo de remuneração copyleft na Lista Metafora uma década atrás.

Re: Ganhando uns trocos blogando

01.08.2002 - Falai Metaforas,

Pericardo escreveu
http://www.blogathon.org

Ta' ligado q no blogathon a correria vai pra filantropia pa' e tal. Um-dois nessa outra parada q outro gringo versou o malote tem q ir e' pro bolso do blogueiro mesmo: Fundacao Weblog!

http://www.buzzmachine.com/foundation/

Demorou!

\//
Tupi


-> Arquivo: 1.8.2012 : Re Metarecursos
-> Arquivo: 1.8.2012 : Re Merchandising
-> Arquivo: 3.7.2012 : Metáfora remunerada
-> Arquivo: 11.4.2012 : Agitação independente
-> Arquivo: 7.2.2012 : Vaquinha para site e tesoureiro
-> Arquivo: 31.1.2012 : Blogs e Blogchalking no Programa Vitrine
-> Arquivo: 1.8.2011 : Re: The Revolution Will Be Webified  
-> Arquivo: 3.10.2006 : Ganhar dinheiro com o blog, por causa do blog ou apesar do blog.
-> Arquivo: 28.9.2006 : Recicle1Político 3.0, nós vencemos!
-> Arquivo: 12.8.2006 : Blogblogs, o Technorati brasileiro com moeda digital Blogpoints?
-> Arquivo: 14.5.2006 : Entrevista de Edney na Revista Época - Ganhar 20 mil com blog
-> Arquivo: 25.5.2005 : Carreirasolo.org discute sustentabilidade de blogs tupiniquins
-> Compartilhando Banners : Livros : Livro - Emergência. A dinâmica de redes em formigas, cérebros e cidades e Marketing Hacker
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Blogs, Smartphones, Scripts e Tablets

1.8.12

Assistindo TV digital no iPhone e no iPad com Tivizen


Liga o programa do tiozinho Celsuir Veronese  no YouTube publicado em 7/12/2011 e gravado em Cidade del Este no Paraguai mostrando o aparelho Tivizen que permite assistir TV Digital no celular iPhone e no tablet iPad da Apple. O mano vendedor da loja Mix Shop rima e troca uma idéia com o apresentador sobre o produto feito na China que se pam está vendendo a milhão.

O bagulho conecta com a TV Digital não sintoniza os canais de TV por assinatura e a cabo e tb não precisa de conexão com internet ou wifi. Dispensa plano de dados 3G uscambau, é só conectar no iPhone ou iPad e sintonizar o sinal pela antena e cair pra dentro. Em 13/8/2011 o Blog do Ipad mandou o salve Testamos o receptor de TV digital Tivizen SBTVD.

O Tivizen SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital) está disponível em versão que conecta direto e outra que transmite o sinal via wi-fi. Esta última esteve a venda no Magazine Luiza e no Mercado Livre uma pá de vendedor manda oferta de R$ 170 a R$ 250 pela fita. O site do produto paga de gatão dizendo que o dongle tb tem versão pra android que conecta via mini usb enquanto a versão para Apple conetca via plug de 30 pinos.

Tipo, 1-2 agora maluco que tem iPhone e iPad tb vai poder pagar de gatão assistindo jogo de futebol, novela e reality show lado a lado com a banca do celular xing ling, chinês e coreano que já vem com TV embutida uscambau. Suave?


-> Arquivo: 11.4.2012 : Assistindo TV a cabo grátis no tablet iPad e no celular iPhone
-> Arquivo: 4.1.2012 : É Globo mas é brazuca
-> Arquivo: 25.10.2011 : A febre das filhas da Janete no YouTube
-> Arquivo: 6.10.2011 : TV mostra escravos nordestinos explorados pelo Governo de São Paulo para construir escolas
-> Arquivo: 8.9.2011 : Curso de chinês de graça para estudantes da periferia
-> Arquivo: 1.8.2011 : Thaide entrevista Mano Brown na TV
-> Arquivo: 18.7.2011 : Sites de TV a cabo pela internet com pay per view de futebol e BBB
-> Arquivo: 4.10.2006 : Assistindo TV a cabo no computador, de graça, sem baixar nada
-> Arquivo: 21.6.2006 : Assistir a Copa no computador, dicas do Link Estadão e da Wired
-> Arquivo: 8.9.2005 : TV a cabo de graça, da China, pela web e em p2p no WSJ/Estadão.
-> Arquivo: 2.8.2005 : TV a gato ou TV a cabo popular por R$ 15,00 por mês
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Tivizen, TV Digital, iPhone, Tablets e iPads

Re: Metarecursos

Vende-se burros.

Msg sobre modelo de remuneração copyleft na Lista Metafora mais de 9 anos atrás:

Re: Metarecursos

14.05.2003 - Falai In, Metafs,

In Hsieh escreveu:
Em relação aos metarecursos, cooperativa poderia ser também a figura jurídica dos projetos, complementando o conceito de sociedade por cotas já sugerido no wiki.
Tipo como o ff versou, pra figura juridica neguinho aqui vai se jogar no esquema ONG, mas derepentemente essa mesma ong pode montar marketplaces online ou tutoriais copyleft com receitinha pra espalhar tipo esporos cooperativas, sociedade por cotas, guildas e coletivos de agentes independentes auto-sustentaveis, isso pra banca q nao quiser bater cartao ou assinar canetinha no board ou na folha de pagamento da ong.
As cotas seriam divididas proporcionalmente ao recursos e esforços aplicados por cada um, seja um "voluntário" ou um patrocinador.
O embaçado em cooperativa é a conversinha igualitaria, cada homem um voto, vai vendo q 1-2 no online tem sempre o slashdot karma ou avaliacao entre membros ou reputacao ou whoffie, q e' tipo o cada um cada um pra cada membro. Mas neguinho q quiser se jogar na correria cooperada ta' valendo, to ligado q no setor de TI e prestacao de servicos (produtoras de cinema, tv, audio e video por exemplo) a correria de cooperativa estrumba q e' daquele jeito, CLT uscambau nem me viu.

Se pam maluco ligeiro pode aparecer com esse papo de cotas remunerando no esquema wallstreet nasdaq, cada acao um voto. Milianos no veneno da bolha, pagar uma de daytrader ou trocar trampo por acoes era o dia-a-dia, tipo se o dinheiro e' informacao digital e bacana das corporacoes despejando uma pa' de moeda corporativa (milhagem, dotz, pontos, b2bcredits uscambau)1-2 maluco do opensource se joga emitindo tb e vai ter uma pa' de neguinho querendo morrer dez-real na sua cota-reputacao ou horas-homem , demorou!

Liga q o truta q inventou o blogshares ja' comecou esse bagulho, depois de estrumbar o meme do joguinho q ele inventou.
Milidias o mano teve o dom de postar na welcome uma conversinha de q estava aceitando os proprios shares, q o software dele emite, como pagamento de horas de desenvolvimento pro upgrade e suporte do jogo, sentiu firmeza? Se os pagapaus comecarem a imitar, se pam inventou a primeira moeda baseada na reputacao e na linkania. A chapa ta' esquentando!
Não sei se isso já foi discutido antes aqui. Como o draft do wiki está parcial, resolvi trazer pra cá a discussão.
Essa conversinha de modelo de negocios opensource p2p copyleft e' de milianos aqui na lista e o wiki e' de antes do drupal, agora tem thread la' naquela goma tb:
http://drupal.projetometafora.org/index.php?or=24

Se pam troca uma ideia continuando o registro do hd:
http://drupal.projetometafora.org/node.php?id=172

Fui, nem me viu!

Nao me acompanha q nao sou novela :-)

\//
Tupi


-> Arquivo: 1.8.2012 : Re Merchandising
-> Arquivo: 3.7.2012 : Metáfora remunerada
-> Arquivo: 3.7.2012 : Re Formalizando (ONG)
-> Arquivo: 11.4.2012 : Agitação independente
-> Arquivo: 7.2.2012 : Vaquinha para site e tesoureiro
-> Arquivo: 28.9.2006 : Recicle1Político 3.0, nós vencemos!
-> Arquivo: 12.8.2006 : Blogblogs, o Technorati brasileiro com moeda digital Blogpoints?
-> Arquivo: 26.5.2006 : Lanchecard, a moeda corporativa da merenda
-> Arquivo: 28.2.2006 : Milhas e Legs, moedas digitais corporativas
-> Arquivo: 20.12.2005 : Chaps, a moeda digital corporativa da Coca Cola no Brasil
-> Coletando : Amazon : Livro - The future of money. Creating new wealth, work and wiser world.
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Moedas, Smartphones, Reciclagem e Tablets

Re: Merchandising


Thread sobre merchandising c2c na Lista Metafora (jun.2002 - set.2003) de mais de 9 anos atrás:

Re: merchandising

28.02.2003 - Falai' paulo, metaforas,

Paulo Colacino escreveu:
Podemos criar logos para nosso projetos que sejam ICONES. Os ICONES viram camisetas, bandanas, bonés, etc. Podemos procurar lojas como canal de vendas.
Ta' ligado q milianos pago um pau pro esqueminha quase c2c do cafepress e do pixeltees onde neguinho cola la', 1-2 sobe os pngs e quem pagar um pau dois palitos e' so' botar na sacola camiseta, bone, mochila, caneca, uscambau.

http://www.cafepress.com e http://www.pixeltees.com

O embacado e' q e' na gringolandia e em dolar e' daquele jeito :-(

Se pam e' fashion designer e merchandising descentralizado (pelo menos a criacao). So' falta descentralizar a manufatura, mas ai' e' so' fazer a correria tipo business plan metaforico, demorou :-D

Fui, nem me viu.

Nao me acompanha q nao sou novela :-)

\//
Tupi


Re: merchandising

28.02.2003 - Msg de Maratimba

poize tupi... vc benchmarkizou legal a ideia... o cafepress eh o melhor em termos de biznes e o pixeltees o melhor em termos de interface pro usuario criativo...acho que ideal seria ter algo no meio...

piro tb na ideia de ter uma serie propria pra quem (site ou consumidor) nao tiver uma ideia própria:

http://www.thinkgeek.com/tshirts/ - pure geek
http://www.tshirthell.com/hell.htm - piadinhas
http://anti.mellowestate.com - n˜o ao tabaco

Agora a pergunta como estruturar a parte logistica-producao... alguem tem ideias? hauhauhaua


Re: merchandising

01.03.2003 - Msg de Paulo Colacino

Maratimba

Eu acho que a parada é conversar com alguém q já ta no ramo de camisetas, brindes e tals e nós faríamos a parte web da coisa.

Os caras seriam nosso fornecedor e teria uma estrutura mínima para cuidar da parte de envio e tals.

Acho que é algo legal... segue o baile ae

PR


Re: Re: merchandising

05.03.2003 - Falai' maratimba, PR, metaforas,

Maratimba opinou:
Agora a pergunta como estruturar a parte logistica-producao... alguem tem ideias? hauhauhaua
PR opinou:
Eu acho que a parada é conversar com alguém q já ta no ramo de camisetas, brindes e tals e nós faríamos a parte web da coisa.
Ta' ligado q o esqueminha p2p na criacao das estampas pa' e tal ja' esta estrumbando milianos com a correria tipo cafepress, pixeltees, uscambau.

Essa conversinha de afunilar na manufatura e na distribuicao e' q e' embacado, mundo industrial ate' umas horas, demorou!

Se pam rola um esquema p2p tb na ponta da manufatura... liga nois q pintar camisetinha hoje em dia nao pega nada. Silk screen caseiro, tranfer em impressorinha hp, xerocadora da esquina, bordadeira automatica... Se neguinho colar com um disquete com jpg em qq alphagraphics, copias brasil, revelacao de fotos 24h, encadernadoras e copiadoras q vc tromba em qq quebrada, 1-2 sai com uma pa' de camiseta, mousepad, bone, uscambau debaixo do braco q e' daquele jeito.

Vai vendo, e se juntar essa banca toda de agentes independentes, artesaos, microempreendedores, uscambau em um lugar na web com todo o catado de desenhos copyleft mais carrinho de compras, delivery motoboy sedex  uscambau. E onde cada membro dessa comunidade online avaliado na direta pelos outros membros (desenhistas, impressores, brokers, compradores, etc) e remunerados por succes fee (gostou pagou)... na levada de leilao online... tem o dom?

Milianos li em algum lugar q a pirataria de estampas para maquinas de bordar automaticas era cabulosa, neguinho na indonesia, hong kong, bolivia uscambau colava nas bocas, fazia o download ou comprava um cd com tudo qto era desenhinho de logotipo tipo nike, le coq, escudo de time de beisebol, basquete, por ai' e depois de plugar na maquininha era so' se jogar no camelodromo ou no container pra feirinha de portobelo road, sentiu firmeza? :-D

Fui, nem me viu.

Nao me acompanha q nao sou novela :-)

\//
Tupi


Re: Re: merchandising

Msg de maratimba

Tupi discursou:
Essa conversinha de afunilar na manufatura e na distribuicao e' q e' embacado, mundo industrial ate' umas horas, demorou!
eh onde a coisa complica total...

Tupi discursou:
Se pam rola um esquema p2p tb na ponta da manufatura... liga  nois q pintar camisetinha hoje em dia nao pega nada. Silk  screen caseiro, tranfer em impressorinha hp, xerocadora da  esquina, bordadeira automatica...
o lance eh q nao tem uma padronizacao... de malha ou de tecnologia de impressão por exemplo. Outra vantagem dessa centralização (q é burra, concordo) é o preço né? :)

Tupi discursou:
Vai vendo, e se juntar essa banca toda de agentes  independentes, artesaos, microempreendedores, uscambau  em um lugar na web com todo o catado de desenhos copyleft  mais carrinho de compras, delivery motoboy sedex uscambau.

essa eh a ideia!

Tupi discursou:
E onde cada membro dessa comunidade online avaliado na  direta pelos outros membros (desenhistas, impressores, brokers, compradores, etc) e remunerados por succes fee  (gostou pagou)... na levada de leilao online... tem o dom?
boa! ex: negozim poe o desenho la e qdo negozim faz virar camisa, ele recebe uma porcentagem! :)

mas diz ae... como a gente faz funcionar essa puerra? any clue? Julio, Padua, PR, alguem?

Tupi discursou:
Milianos li em algum lugar q a pirataria de estampas para  maquinas de bordar automaticas era cabulosa, neguinho na  indonesia, hong kong, bolivia uscambau colava nas bocas, fazia o download ou comprava um cd com tudo qto era desenhinho de logotipo tipo nike, le coq, escudo de time de beisebol,  basquete, por ai' e depois de plugar na maquininha era so' se  jogar no camelodromo ou no container pra feirinha de portobelo road, sentiu firmeza? :-D
hauhauhauha


Re: Re: merchandising

Msg de Daniel Padua
Maratimba convocou: boa! ex: negozim poe o desenho la e qdo negozim faz virar camisa, ele recebe uma porcentagem! :) mas diz ae... como a gente faz funcionar essa puerra? any clue? Julio, Padua, PR, alguem?
Cara, doido demais isso.

Lembrei de um cara na minha faculdade: precisávamos comprar banquinho de pescador pra sentar no parque e desenhar paisagem. Daí não tinha onde comprar, e esse neguinho fez um protótipo, mostrou pra moçada e aí galera comprou a baixo custo.

Pra essa parada de merchandising/artesanato p2p, rola:

a) Pôr logos e ilustrações numa página para download

b) Escrever umas instruções e idéias de tipos de merchandising que são apreciados

c) Divulgar a página e encorajar a apresentação de protótipos

d) Listar os protótipos numa página, com formulário simples de pedido ou email pra contato, ou expor como item de leilão - total artesanato p2p.

e) Neguim que quiser faz negócio.

I'm gone, you didn't see me, heheheh

Daniel


-> Arquivo: 1.8.2012 : Re Metarecursos
-> Arquivo: 3.7.2012 : Metafora remunerada
-> Arquivo: 3.7.2012 : Re Formalizando (ONG)
-> Arquivo: 11.4.2012 : Agitação independente
-> Arquivo: 7.2.2012 : Vaquinha para site e tesoureiro
-> Arquivo: 23.1.2012 : Blogchalking, o primeiro meme brasileiro de repercussão mundial
-> Arquivo: 15.7.2011 : Ticket 171
-> Arquivo: 03.10.2006 : Ganhar dinheiro com o blog, por causa do blog ou apesar do blog
-> Arquivo: 28.9.2006 : Recicle1Político 3.0, nós vencemos!
-> Arquivo: 12.8.2006 : Blogblogs, o Technorati brasileiro com moeda digital Blogpoints?
-> Arquivo: 28.2.2006 : Milhas e Legs, moedas digitais corporativas
-> Blog Idéias pro Mercado Livre : Camisetando
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Camisetas Personalizadas, Scripts, Logotipos e Tablets

3.7.12

Cabelo crespo de estagiária seria contra o padrão de escola em São Paulo/SP



Mano, liga essa fita cabulosa que saiu no Jornal Nacional na TV Globo - Polícia investiga denúncia de racismo contra estagiária de colégio em São Paulo - e que o mano do canal Hernaniquilombo teve o dom de gravar e publicar no YouTube dia 7/12/2011. Vai vendo a treta na descrição do video:

(...) A estagiária Ester Elisa da Silva Cesário acusa seus superiores de perseguição e racismo. Conforme Boletim de Ocorrência registrado no dia 24 de novembro (2011), na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) de São Paulo, ela teria sido forçada a alisar o cabelo para manter a "boa aparência".

"Ela disse: 'como você pode representar o colégio com esse cabelo crespo? O padrão daqui é cabelo liso'. Então, ela começou a falar que o cabelo dela era ruim, igual o meu, que era armado, igual o meu, e ela teve que alisar para manter o padrão da escola." (...)
.
Dia 16/12/2011 o jornal Folha de São Paulo tb mandou o salve na reportagem Encrespou escrita por Tatiane Santiago e Emilio Sant'Anna reproduzida no site da NQM:

Encrespou.

Por Tatiane Santiago (Agora) e Emilio Sant'Anna (de São Paulo/SP)

Estagiária afirma ter sido alvo de preconceito após diretora de colégio pedir para que ela alisasse o cabelo; caso foi parar na delegacia de crimes raciais

Quando o primeiro cabelo "black power" chegou por aqui, na cabeça de Tony Tornado, 81, logo foi evidente que era parte do movimento de afirmação racial dos negros. Nesta semana, 41 anos depois, o ator ficou "enjoado" ao saber que o penteado ainda causa preconceito.Tony não queria acreditar quando leu, no Facebook, o caso da estagiária Ester Elisa da Silva Cesário, 19.Ela afirma ter sido alvo de racismo no colégio Internacional Anhembi Morumbi, no Brooklin, zona sul de São Paulo, onde é estagiária.Assim como Tony, Ester é negra. Seu cabelo é crespo, bate nos ombros. Ela preserva o volume natural dos cachos.Segundo Ester, em seu primeiro dia de trabalho como assistente de marketing, no dia 1º de novembro, a diretora do colégio reclamou de uma flor presa em seu cabelo e pediu para deixá-los presos.Dias depois, a diretora a teria chamado novamente para reclamar do cabelo.Dessa vez, conta Ester, a mulher foi além: disse que compraria camisas mais longas para que a funcionária escondesse seus quadris."Como você pode representar nosso colégio com esse cabelo crespo?", indagou a diretora, segundo a jovem.Ainda de acordo com a estagiária, a diretora contou que já teve cabelos crespos, mas os alisou para se adequar ao padrão de beleza exigido.Foi a gota d'água para a estagiária procurar a polícia. Ester registrou um boletim de ocorrência na Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância)."A discriminação me afetou de tal forma que eu não consigo mais me olhar no espelho e mexer no meu cabelo. Ela [a diretora] mexeu com meu emocional. Estou triste e choro a todo instante", diz.

Discriminação

Para o professor de direito constitucional da Fundação Getulio Vargas (FGV), Oscar Vilhena Vieira, casos como o de Ester são flagrantes desrespeitos à Constituição.Segundo ele, o caso pode gerar uma ação cível ou criminal. "Para isso, é preciso que fique demonstrada a intencionalidade da discriminação", explica.Para Tony, os 41 anos que se passaram desde que se tornou o primeiro a usar um "black power" não foram suficientes para acabar com o preconceito no país."Depois que vi a história, fiquei enjoado, pensando como pode acontecer uma coisa dessas em 2011."

Colégio diz que não teve intenção de constranger

O colégio Internacional Anhembi Morumbi afirma, em nota, que a direção da escola e o restante da equipe de funcionários com a qual Ester Elisa da Silva Cesário trabalha nunca teve a intenção de causar qualquer constrangimento.

De acordo com a nota, o colégio possui um modelo de aprendizagem inclusivo, que abriga professores, estudantes e funcionários de várias origens e tradições religiosas.

O uso de uniformes por alunos e funcionários é exigido para que o foco da atenção saia da aparência. A instituição afirma que ainda não foi notificada oficialmente sobre o boletim de ocorrência registrado pela estagiária.

O colégio também afirma que entende que o respeito às diferenças é um assunto sério e, por isso, colocou formalmente esse tema em seu estatuto e na grade curricular.
.
Dia 8/12/2011 o site Geledés publicou - A estágiária Ester Elisa da Silva Cesário diz que foi transferida para o arquivo - tipo seguindo a rima com bacana do colégio CAM estilo sangue nos olhos. Sente o drama:

(...) Contratada em 1º de novembro, ela costumava ficar ao lado da recepção e mostrava o colégio para os pais interessados em matricular seus filhos.
Na última segunda-feira, quando o caso ganhou repercussão em redes sociais, diz que foi transferida para o arquivo, em uma sala em frente à direção.
"Agora só arquivo documentos e carimbo carteiras dos alunos", diz a jovem.

Resposta: A conselheira do colégio Mercedes Vieira disse que não houve mudança de função. O colégio nega discriminação.
.
1-2 a tiazinha do colegio tem mais é que colar no blog Cabelo Crespo é Bom e pagar um pau na rima da Mariangela Miguel, demorou:

Cabelo Crespo é Bom
Mariangela Miguel

Se você me perguntar como esse blog nasceu, vou dizer que nasceu por causa de uma indignação. Depois de tantos anos ouvindo (e eu mesma afirmando!) que meu cabelo é ruim, que cabelo crespo é ruim, que fulana tem cabelo ruim, cansei. É verdade que nunca gostei de cabelos lisos, não combina comigo. Mas os cabelos cacheados sempre me provocaram suspiros.

Tentei de tudo, chapinha, relaxamento, mas é obvio que os cachos nunca ficaram  perfeitos. É claro que na adolescência a frustração é maior. Quem não quer ter o cabelo da moda? Quando o seu cabelo só cresce para cima, como explicar para uma menina de 13 anos que ela não pode nem sonhar com o cabelo Chanel?  Quem é o culpado? O cabelo ruim.

Acreditei nisso por muitos anos. Hoje, depois de tantas experiências (que vou fazer questão de contar cada uma para vocês), cheguei a seguinte conclusão: se meu cabelo fosse realmente ruim, não teria agüentado tanto secador, chapinha e química.

É preciso ser muito bom para passar por um processo químico, mudar toda a textura do fio e ainda ficar parecido com o cabelo da modelo da revista. Por isso, a-do-ro o meu cabelo. Se você, como eu, também tem cabelos crespos, afirmo e repito: cabelo crespo não é ruim, é bom e muito bom.

(...) Não importa qual a sua escolha, vamos nos unir em uma jornada que vai transformar nossos cabelos em verdadeiros objetos do desejo. É isso.
.
Sentiu firmeza? Se joga no cabelo cacheado, encaracolado, pixainho, uscambau.

Antigamente quilombos hoje periferia,
Brasil 500 anos de extermínio.

Re: Formalizando (ONG)

Dinheiro antigo

Msg sobre modelo de remuneração copyleft na Lista Metafora em 2003:

11.06.2003 - Falai Izq, Metafs,

Izq escreveu
tá ligado, mas não vou me basear no padrão dos outros. meu esquema de pegar mal foi com a nossa negada. como que eu tava "representando" o metafora? Não dá pra representar, não há tantos consensos assim na parada. é mais consultor jBoss, peguei idéias e tá aqui fazendo o meu e o coletivo ao mesmo tempo. Se pintar, é na minha, mas não sei fazer sozinho, então vai ter uns e outros que entram juntos.
Se pam a correria é tipo linux. Será q o Linus Tovalds tem q assinar tudo o q a molecada troca idéia por ai? O bacana fica ligado em todas as correrias uscambau? Tipo e os man in blue da ibm e da hp com cartaozinho com pinguinzinho falando em nome do movimento pa' e tal, neguinho voluntario das outras gomas controla ou esquenta? Copia o script basico e se joga q ta' valendo!

Izq perguntou:
Como divide a verba? Entre quem participa, mas isso é foda. Se pintar um patrocínio pro Install Fest, as meninas têm direito a ganhar uns trocos pela dedicação. E tu, tupi, que fez o logo? E o dpadua, que vai fazer o hotsite? E nego que jogou na lista sinapses de installfests, não merece? Esquema não tem fim, e eu não sei muito bem como resolver e não achar que tô roubando alguém.
Se pam todo mundo e' maior de idade e recebe o malote de cada correria q faz pela moeda da reputacao. Liga nois q essa pa' de bits q neguinho desenvolve nunca sai de graca nao. Agrega no portfolio dos manos, mais uma linha no cv, mais um truta no network, o contador do karma girando... to ligado q cada um q colou no Metafora fez um catado em beneficio proprio tb pq e' daquele jeito! Vai vendo, juntando os rabiscos q eu assinei no metaf, neguinho no mund‹o pode pagar um pau achando q sou O desenhista ativista colaborativo, 1-2 ganho mais um negocio e se tiver o dom posso deixar uma parte do arrecado pro Metafora. Sentiu firmeza?

Tupi versou:
Se for pra so' pra dar nota fiscal separando a parte do arrecado do estado (leão do IR, ICMS, uscambau) se pam nem precisa montar cooperativa nova, e' so' a banca metafora se logar em uma cooperativa de informatica ou audiovisual existente.
Izq perguntou:
e nego vai aceitar meia dúzia de bacana entrando no catado pra fugir do leão?
Milianos ouvi uma historinha d q cooperativa e' tipo coracao de mae, sempre cabe mais um, bacana dirigente quer mais e' q a banca vire enxame uscambau. Se pam uma pa' de mano cola nas coops so' pra poder dar nota e fugir da CLT. Outra pa' paga de idealista acreditando na auto-gestao, no mito do bom selvagem e na democracia dos meios de producao :-)

Schepop perguntou:
Para FF e Dalton a possibilidade de usar MeMeLab como nome alternativo para a SCHEPOP'DSGN está ok. Drica, Dpadua, Maratimba, HD, Tupi e demais Meta-Facilitadores, o que acham?
Memelab.com.br, org, ou ate' art, tur. prop, net, tk... por mim ta' valendo!

Se joga q se pam e' copyleft ate' umas horas :-)

PR vaticinou:
vamos continuar trabalhando cada um em suas empresas ou com suas empresas... e enchendo uma lista de discussão e um WIKI de idéias que nunca serão concretizadas
A correria Metafora vem de milianos sem papelada de ong uscambau e neguinho trocou muita ideia, conversinha, uscambau mas tb concretizou uns bagulhos ate' umas horas. Tipo o metareciclagem, o conhecimento e a prova de q e' possivel ja' ta' sendo registrado. Demorou! Se pam a banca toda pode 1-2 virar socio ou professor de uma montadora build-to-order da santa efigenia ou consultor de prefeitura na amazonia, qdo precisar mandar nota, usa um cnpj dos manos q ta' dominado. Ou tipo os gringos q replicaram o blogchalking.com, espalham a distro mas fazendo o arrecado deles pro blogtv uscambau. Tipo filesharing p2p, quem chegar primeiro leva!

Chocadeira e' isso, uma pa' de maluco chapando o coco criando novas formas de usar a parada e outra pa' chegando junto e q tem o dom de viabilizar e materializar a correria. Cada um, cada um.  So' tem q levar uma fe' de q quem toma o leite nao vai matar a vaca de fome :-)

A revolucao nao sera' televisionada!

Fui, nem me viu!

\//
Tupi


-> Arquivo: 3.7.2012 : Metafora remunerada
-> Arquivo: 11.4.2012 : Agitação independente
-> Arquivo: 27.3.2012 : Esquerda e direita
-> Arquivo: 9.3.2012 : Festa e revolução
-> Arquivo: 5.3.2012 : Questionando projetos de acesso à internet na periferia
-> Arquivo: 4.1.2012 : Sacrifício de uma geração
-> Arquivo: 27.12.2011 : Internet e feudalismo
-> Arquivo: 19.10.2011 : Recicle1politico
-> Arquivo: 1.8.2011 : Re The revolution will be webified 
-> Arquivo: 20.7.2011 : Re A Web é vermelha
-> Compartilhando Banners : Livro - TAZ. Zona Autônoma Temporária
-> Busca no Mercado Livre : ONGs, Scripts, Tablet e Revolução

Metafora Remunerada

Carangueijo - Crab Porta Moedas

Msg sobre modelo de remuneração copyleft na Lista Metafora em 2003:

Metafora Remunerada

21.02.2003 - Falai Metaforas,

Marcus Colacino escreveu
em alguns projetos somos voluntarios...em outros poderiamos esquematizar uma remuneracao...da maneira como ta rolando parece-me que tudo tem que ser voluntario/sem um planejamento/sem data/sem preco/sem destino/sem logo...rs
Ta ligado q milidias rolou esse thread aqui sobre neguinho fazer a correria, se pam com uma remuneracao uscambau.

Vai vendo, voluntariado e' mil graus mas nao pega nada se aqui na caordem neguinho se jogar em uma pa' de projeto e empreendimento com potencial de fazer um catado em receita, patrocinio, trafego de visitantes, repercussao de ideias, gerencia de marcas copyleft, publicacoes pessoais, uscambau.

O arrecado pra ter o dom de ser metaforico se pam tem q ser descentralizado tipo p2p ou c2c, copyleft, remuneracao pos servico prestado (succes fee) ou compartilhar riqueza gerada.

Correria A - Modelo sociedade por cotas

Tipo e se neguinho aqui se juntar tipo como um grupo/clube de investimento, sociedade por cotas, no modelo de guilda medieval, ou como nasceu a companhia das indias orientais na holanda do sec. xvii. Tipo um coletivo pra gastar e arrecadar em mutirao, lado a lado com os trutas.

Tipo esse clube teria uma unica conta conjunta de: programas de afiliados (amazon, submarino, mercado livre, somlivre, etc), paypal ou patrocinio, wishlists (amazon e submarino).

Todos os membros do clube linkariam para a loja online do clube ou exporiam um banner exchange auto administrado. A diferenca de trafego ou exposicao gerada por cada um dos membros representaria as cotas q cada um teriam direito.

De tempos em tempos os dividendos do clube eram repartidos ou reinvestido entre seus integrantes ou adicionados a qtde d cotas q possuem.

Correria B - Modelo Clube de Troca

Ta ligado no movimento q rolou na crise argentina, com corralito e o shutdown da economia e do governo oficial, neguinho teve q se virar e inventou a moeda social, o movimento monetario mosaico, uscambau.

Vai vendo, o clube emitiria uma moeda digital q remunerasse os integrantes, cada integrante do clube tem q se comprometer a aceitar a moeda digital em troca de servicos ou produtos q se dispoe a oferecer. Se a correria estrumba e vira meme, a moeda acaba ganhando valor de troca e liquidez 1-2 neguinho calcula a taxa de conversao pra moeda oficial e nossa moeda digital ganha moral lado a lado de passe de onibus e tiket refeicao (em sampa vc compra qq coisa em camelo com essas moedas paralelas) q e e' daquele jeito :-)

O clube emitiria e administraria a moeda digital e remuneraria a participacao dos membros nos projetos com ela, o holerite de cada um se pam pode ser baseado em karma ou hierarquia de interacoes (ideias, horas de trampo, uscambau).

E' embacado ou nao e'?

Liga nois q bacana do copyright e do software proprietario paga uma de gatao versando q o copyleft e a economia em rede nao tem como pagar salario nem de botar comida na mesa de ninguem. Mas dois palitos e neguinho vai aparecer com um bagulho maluco de arrecado (eh nois) e passar um pano nos pagapaus do modelo industrial linha de montagem 9to5 broadcast energivoro e perdulario, demorou!

Fui, nem me viu.

\//
Tupi


Re: Metafora Remunerada

21.02.2003 - Msg de Felipe Fonseca,

tupatupa,

Tupi versou:
O arrecado pra ter o dom de ser metaforico se pam tem q ser descentralizado tipo p2p ou c2c, copyleft, remuneracao pos servico prestado (succes fee) ou compartilhar riqueza gerada.
por aí. então, nada impede neguim de catar dois trás por aí, mandar ver e depois dar uma força na wishlist, lá no wiki. e sempre compartilhar o que aprendeu.
Correria A - Modelo sociedade por cotas
bom, mas como esquema paralelo, envolvendo quem quer e pode. mas precisa dum broker no meio pra administrar e pam.
Tipo esse clube teria uma unica conta conjunta de: programas de afiliados (amazon, submarino, mercado livre, somlivre, etc), paypal ou patrocinio, wishlists (amazon e submarino).
e f2b.
Correria B - Modelo Clube de Troca
Vai vendo, o clube emitiria uma moeda digital q remunerasse os integrantes, cada integrante do clube tem q se comprometer a aceitar a moeda digital em troca de servicos ou produtos q se dispoe a oferecer.
nao sei se vale a gente criar mais uma moeda. ja rola dolar, rural, dotz, momo e outros esquemas. acho que tem é que adotar uma e fazer virar. começar simples e ir crescendo.
O clube emitiria e administraria a moeda digital e remuneraria a participacao dos membros nos projetos com ela, o holerite de cada um se pam pode ser baseado em karma ou hierarquia de interacoes (ideias, horas de trampo, uscambau).
isso é fogo de determinar. tem que pensar forte.
E' embacado ou nao e'?
mesmo.

ff


Re: Metafora Remunerada

21.02.2003 - Msg de Hernani Dimantas

Ótimas idéias... acho que poderíamos a partir daí debater mais sobre uma nova forma de remuneração. Acho que é um problema que aflige a todos

abs

hdhd


Re: Metafora Remunerada

21.02.2003 - Msg de Julio Nobrega,

Hernani Dimantas versou:
Ótimas idéias... acho que poderíamos a partir daí debater mais sobre uma nova forma de remuneração. Acho que é um problema que aflige a todos
Aí é que está, depende do porque seríamos remunerado, e isso é pessoal.. eu, por exemplo, n‹o reclamaria de ganhar uma bunfa a mais por mês, mas não preciso. Conciente disso, deixo pra lá o dinheiro, ou me contento com bem pouco.

Uma coisa é certa: Pela quantidade de projetos e a taxa de projetos em execução versus idéias que nós temos (claramente, temos mais idéias que executamos), seria bom se alguém pudesse se dedicar ao MetaFora ao algunas de seus projetos, digamos... com mais afinco.

E essa dedicação não viria de graça. Não sei qualé o esquema da maioria das pessoas aqui, se elas fazem só MetaFora ou se é paralelo a outros trampos. Essa(s) pessoa(s) poderiam dedicar-se mais tempo e contribuir mais se fossem remuneradas.

E tocariam o berrante pra chamar os peço, nós, que apareceríamos quando convocados, quando fosse pra botar a mão na massa, quando pedisse tempo demais ou presença física.

Fui e nem me viu, como ouvi por essas bandas :)

Julio Nobrega - Vá de Bicicleta!
Sei lá! http://www.inerciasensorial.com.br


Re: Re: Metafora Remunerada

24.02.2003 - Falai' izq, hdhd, julio, metaforas,

Izq escreveu:
nao sei se vale a gente criar mais uma moeda. ja rola dolar, rural, dotz, momo e outros esquemas. acho que tem é que adotar uma e fazer virar. começar simples e ir crescendo.
Se pam moeda oficial e' midia de massa ate' umas horas, tipo uma paradinha p2p vira ter o bolso estrumbado com uma pa' de moeda social, contravale, paypal, tikets, f2b, passe de onibus, uscambau :-)

Liga nois q dinheiro e' informacao, na linkania e na caordem fazer a correria com uma pa' de informacao descentralizada lado-a-lado nao pega nada. Tipo so' ia ficar embacado trombar todo dia com seu bankline opensource pagando uma de interface bloomberg, com uma pa' de cotacao das moedas sociais e oficiais, uscambau. Tem o dom?

Ta ligado q nessa conversinha de moedas paralelas to chapando o coco com os malucos do movimento monetario mosaico - http://www.momomo.org
bom, mas como esquema paralelo, envolvendo quem quer e pode. mas precisa dum broker no meio pra administrar e pam.
Opa, se pam tamos ai'. Vai vendo, como nao tenho blog nem site pessoal de trafego e reputacao posso fazer essa correria de broker uscambau. Tipo no comeco podemos unificar o banner exchange metafora no braco mesmo, 1-2 daqui a milidias algum maluco seta um adserver opensource e vamuqvamu.

Quem ja' tem conta de afiliado tipo: amazon, submarino, somlivre, f2b, mercadolivre, cafepress, paypal, uscambau? Se pam ja' saimos fazendo o catado usando algum d neguinho do clube q ja setou. Ou, como broker, eu posso setar ou usar as minhas contas q nao pega nada. Mas tem q confiar pq vai estar tudo no meu nome :-)

Quem pagou um pau pode ir colando nesse clube, depois a gente decide como divide. tem o dom?

Fui, nem me viu!

Nao me acompanha q nao sou novela :-)

\//

Tupi


Re: Re: Metafora Remunerada

24.02.2003 - Msg de Felipe Fonseca

Grande desaparecido,

Tupi escreveu
Liga nois q dinheiro e' informacao, na linkania e na caordem fazer a correria com uma pa' de informacao descentralizada lado-a-lado nao pega nada. Tipo so' ia ficar embacado trombar todo dia com seu bankline opensource pagando uma de interface bloomberg, com uma pa' de cotacao das moedas sociais e oficiais, uscambau. Tem o dom?
Liguei. Tava muito fechado mesmo.
Opa, se pam tamos ai'. Vai vendo, como nao tenho blog nem site pessoal de trafego e reputacao posso fazer essa correria de broker uscambau. Tipo no comeco podemos unificar o banner exchange metafora no braco mesmo, 1-2 daqui a milidias algum maluco seta um adserver opensource e vamuqvamu.
Mas a minha dúvida é, como rolaria o esquema, como verificar quem entrou no quê. Cara, esse é o maior problema que a gente tem pra

resolver. Como fazer o esquema ser fair enough?
Quem ja' tem conta de afiliado tipo: amazon, submarino, somlivre, f2b, mercadolivre, cafepress, paypal, uscambau? Se pam ja' saimos fazendo o catado usando algum d neguinho do clube q ja setou. Ou, como broker, eu posso setar ou usar as minhas contas q nao pega nada. Mas tem q confiar pq vai estar tudo no meu nome :-)
eu tenho paypal, mas não tenho cartão. tenho wishlist na amazon e tenho f2b, que precisava alguém pra pegar aquele webservices deles e destrinchar. mas se precisar tô confiando na tua.
Quem pagou um pau pode ir colando nesse clube, depois a gente decide como divide. Demorou ou e' embacado?
Demorou.

Aliás, a todos: projetometafora.org tá saindo amanhã. Hospedagem cortesia do vilago.com.br . Agradeçamos todos e puxemos o saco do crisdias.

Falei, entonces?


Re: Re: Re: Metafora Remunerada

24.02.2003 - Falai' Izq, metaforas,

Izq falou:
Mas a minha dúvida é, como rolaria o esquema, como verificar quem entrou no quê. Cara, esse é o maior problema que a gente tem pra resolver. Como fazer o esquema ser fair enough?
Fair enough, to ligado q e' embacado mas vai vendo, se pam tem q hierarquizar os membros na levada da reputacao, karma, trafego, horas trabalhadas, valor das ideias, eyeballs, uscambau de cada um.

Correria A - sociedade por cotas

Tipo o clube sociedade por cotas emite x cotas e divide entre os integrantes de forma proporcional a reputacao (qq criterio q o clube decidir), tipo Joelhasso 10% de x, MktHck 10% de x, Charlie 5 % de x, Tupi 2% de x, uscambau. De tempos em tempos o broker/tesoureiro faz o catado e divide de acordo com a posse das cotas de cada um ou se a banca decidir reinveste em algum outro projeto coletivo (q se pam tem o dom de significar mais exposicao e receita). Se o bagulho partir pra dentro, alem de permitir a tranferencias das cotas o coletivo pode decidir em fazer o split delas e disponibilizar mais cotas entre novos ou atuais integrantes, naquele esqueminha capitalista q a peaozada da microsoft conhece bem :-)

Correria B - clube de trocas

Tipo cada integrante do clube recebe um valor da moeda social digital conforme acha q vale (liga q nesse esquema neguinho do clube tem q aceitar a moeda digital tb em troca de algum produto ou servico q tiver o dom de disponibilizar). Um dos ativos q o clube adquire com a moeda social digital e' exposicao do bannerexchange nos blogs dos integrantes interessados, os produtos e servicos transacionados em moeda oficial atraves dos programas de afiliados seriam somados a um fundo coletivo, q poderia investir em projetos coletivos ou recomprar a moeda digital com a moeda oficial na cotacao - valor arrecadado em moeda oficial versus total da qtde de moeda digital emitida. A banca q administra a qtde de moeda social digital disponivel tem q fazer a correria pra evitar excesso inflacionario, uscambau.
eu tenho paypal, mas não tenho cartão. tenho wishlist na amazon e tenho f2b, que precisava alguém pra pegar aquele webservices deles e destrinchar. mas se precisar tô confiando na tua.
Opa, ta valendo. To ligado q vc deu linha na pipa pro bagulho de administrar grana da vaquinha uscambau mas mil graus dividir a responsa, tipo usa o seu paypal, wishlist e o f2b e o resto dos programas de afiliados eu seto ou uso o do tupi. E' embacado ou nao e'?

Fui, nem me viu.

Nao me acompanha q nao sou novela ;-)

\//
Tupi


-> Arquivo: 3.7.2012 : Re Formalizando (ONG)-> Arquivo: 11.4.2012 : Agitação independente
-> Arquivo: 7.2.2012 : Vaquinha para site e tesoureiro
-> Arquivo: 23.1.2012 : Blogchalking, o primeiro meme brasileiro de repercussão mundial
-> Arquivo: 15.7.2011 : Ticket 171
-> Arquivo: 03.10.2006 : Ganhar dinheiro com o blog, por causa do blog ou apesar do blog
-> Arquivo: 28.9.2006 : Recicle1Político 3.0, nós vencemos!
-> Arquivo: 12.8.2006 : Blogblogs, o Technorati brasileiro com moeda digital Blogpoints?
-> Arquivo: 26.5.2006 : Lanchecard, a moeda corporativa da merenda
-> Arquivo: 28.2.2006 : Milhas e Legs, moedas digitais corporativas
-> Arquivo: 20.12.2005 : Chaps, a moeda digital corporativa da Coca Cola no Brasil
-> Coletando : Amazon : Livro - The future of money. Creating new wealth, work and wiser world.
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Moedas, Scripts, Notas e Tablets

24.4.12

Pixação gigante com extintor de incêndio no Brasil



Falaí manos, suave? Liga que milidias o jornal Folha de São Paulo teve o dom de publicar este video no YouTube para a matéria Grafiteiros trocam spray por extintores em SP dando um salve pra técnica do extinguinsher graffiti, aquela mesma do mestre Kidult, espalhando geral aqui São Paulo, BH, pindorama, uscambau.

Vai vendo copy paste na matéria da Folha:
Grafiteiros trocam spray por extintores
4/3/2012 - Jornal Folha de São Paulo
Vanessa Correa

Dispositivo é usado para pichar letras gigantes, muitas delas indecifráveis, que atingem até sete metros de altura. Muros de prédios, viadutos e túneis da região central e zona oeste estão entre as principais 'vítimas'

As indecifráveis letras espalhadas pelos muros da cidade são uma forma de arte ou apenas depredação de patrimônio? Um novo tipo de pichação, considerada vandalismo extremo até por quem a pratica, vai esquentar ainda mais essa discussão.

Grafiteiros paulistanos -alguns deles artistas renomados- estão trocando, em segredo, suas latinhas por extintores de incêndio cheios de tinta preta ou colorida. O resultado, torto e escorrido, devido à dificuldade de controlar o jato, começa a aparecer nas paredes, viadutos e túneis da cidade.
"Tags" (assinaturas) como VLOK, VERSUS, ENO, LARPUS E NAO (em maiúsculas, como são pichadas), com letras que passam dos sete metros de altura, fazem outras pichações, que normalmente não atingem os três metros, parecerem nanicas.

Em São Paulo, a técnica começou a ser usada há cerca de três anos, trazida por artistas brasileiros que voltavam do exterior. A partir do ano passado, ganhou mais adeptos e mais espaços. Em 2010, o artista nova-iorquino Krink pintou, a convite, a fachada do MIS (Museu da Imagem e do Som) usando um extintor. "Eu deixei alguns extintores com amigos depois do trabalho, e eles gostaram bastante de usar", conta Krink, que não se considera um grafiteiro.

Poucos pichadores (diferente de grafiteiros, que fazem desenhos) conhecem o método. Do ponto de vista de quem picha, ele tem a vantagem de produzir letras de grande impacto em apenas alguns segundos.

"Os caras ainda olham e pensam: como é que conseguiram fazer desse tamanho?", diz o grafiteiro paulistano A., que falou sob a condição de anonimato. "Se cair na mão de pichador, vai cair na mão de todo mundo."

E já há pichadores na fila. Como N., que pichou os muros das casas do juiz Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, e do casal Nardoni, na época em que seus crimes alcançaram grande repercussão. Ele diz que está só esperando para ganhar o "brinquedinho" prometido por um colega grafiteiro para espalhar sua marca pela cidade: "OSBV", um abreviação da frase "os bicho vivo".

Na mesma moeda

Para o grafiteiro Mundano, esse tipo de vandalismo extremo "é uma resposta agressiva à prefeitura", que apaga as pichações e grafites com jatos de tinta cinza.

As pichações com o extintor não parecem conter nenhum tipo de protesto específico, mas trazem a mesma atitude contrária ao sistema de outros tipo de intervenção urbana. "De algum jeito, a gente quer atingir o sistema. Se não incomodar, a gente não vai mais fazer", diz A.

Mas uma ação com o extintor em São Paulo se destacou pelo tom de protesto. Em janeiro, um grupo munido de extintores praticamente lavou de azul a fachada da sede do Ibama na capital. A ação foi um protesto para lembrar o segundo aniversário da licença ambiental prévia concedida pelo órgão do meio ambiente para as obras da usina de Belo Monte, no Pará.




Liga nós essa foto no Tumblr Demo Art com maluco pixando o trem em movimento. Bem louco, 1-2 a tiazinha da Folha continuou a rima trocando idéia com uma pá de gringo:
Ultra vandalismo
4/3/2012 - Jornal Folha de São Paulo
Vanessa Correa

Los Angeles, Nova York, Paris (só para ficar entre as mais famosas) e, agora, São Paulo. A pichação com extintor, até há pouco restrita a um círculo de iniciados, começa a se espalhar pelo mundo.

"O extintor de incêndio não era popular até pouco tempo atrás", diz o artista americano Krink. Em agosto de 2010, ele cobriu de azul, verde e amarelo a fachada do MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo. "Agora, por causa da internet, está se tornando uma tendência mundial no grafite."

Krink tem razão. Basta uma busca no YouTube pela expressão "fire extinguisher graffiti" para encontrar 175 vídeos, a maior parte deles americanos e franceses, que mostram como surgem as letras borradas e escorridas. O efeito, inevitável, é na verdade um atrativo da técnica. "Tenho feito grandes marcas escorridas sobre superfícies. O extintor foi uma maneira de fazer marcas ainda maiores", continua Krink.

O grafiteiro Chivitz, que além de pintar na rua de São Paulo expõe sua arte na galeria Choque Cultural, acha a técnica "rápida, grande, com uma textura muito bonita, com bolotas, um escorrido".

Krink conta que o extintor começou a ser usado para fazer "tags" (assinaturas) por gangues da cidade americana de Los Angeles nos anos 1990, antes mesmo de se tornar popular entre os grafiteiros que pintam letras. Krink, que não se considera grafiteiro (grafite e pichação estão associados a ações não autorizadas, ou seja, vandalismo) usa a técnica em seu trabalho desde 2004.

Para os grafiteiros paulistanos com quem a Folha conversou, um dos precursores do extintor foi o nova-iorquino KATSU. Vídeos com seus trabalhos são os primeiros a aparecer em uma busca rápida pela internet.

Quem domina o traço, no entanto, é outro americano, que assina DEMOS. Ele é capaz de produzir com extintor as chamadas "bombs". São as assinaturas arredondadas com letras coloridas, normalmente contornadas de preto, associadas ao hip hop (movimento norte-americano que combina rap, grafite e a dança break).

O controle no traço só é obtido depois de algumas tentativas frustradas, diz Krink. "Demora um tempo para acertar o tamanho da letra. Um monte de erros horrorosos ocorrem antes de você dominar isso."

A Folha procurou diretores de importantes instituições de arte sediadas em São Paulo para falar sobre o tema. Todos estavam "fora". Outras pessoas do meio artístico com quem a reportagem falou preferiram não comentar o assunto.

É embaçado ou não é? Ligeiro post no blog Churisco - Extinguisher, pixando com extintor (23/3/2012) - registra o corre da banca Beside Colors pixando com extintor de incêndio a milhão, daquele jeito.

Fui, nem me viu!


-> Arquivo: 17.8.2006 : Handselecta, tipos de letras com graffiti e pixação
-> Coletando : Livraria Cultura: Livros Graffiti Brasil e TTSSS, A grande arte da pichação em São Paulo
-> Coletando : Mercado Livre : Pintura, Extintor, Tinta e Graffiti
-> Camisetando : Temas de Estampas : Arte da Rua

Re: Acessa SP

Conheca o teclado

Msg sobre exclusão social na Lista Metafora em 2002.

Re: Acessa SP

30.07.2002 - Falai metaforas e estraviz,

Paguei um pau pra esses 58 acessas sao paulo pela periferia, mil graus.

Se pam a chave da auto disseminacao do uso da web pro povo do gueto e' comecar primeiro respondendo: como o acesso a rede pode ajudar na sobrevivencia, na correria de todo dia ou na melhoria da qualidade de vida pra quem e' da quebrada.

Vai vendo, neguinho ta' achando q trocou o curso de datilografia pelo do windows, word e explorer. 1 -2 e' so' colocar no curriculo e esperar na fila do emprego.

Se for isso beleza pra comecar, mas neguinho tem q saber q no ciberespaco tb rola recrutamento e post de vagas online, comunidades de agentes independentes, cooperativas, mercados de compra e venda consumer to consumer, associacoes de empreendedores, incubadoras, auto servico governamentais para micro empresas e autonomos, integracao de servicos mobile (pager, sms, wap) com web, e-learning e suporte online, uscambau.

Pode ser q seja muito pra cabeca de qq um, 1-2 o melhor e' juntar a linkania de servicos online disponiveis a partir do perfil de cada um (estudante, artista, desempregado, subempregado, microempreendedor, artesao, autonomo).

Em paralelo versar as dicas de como usar melhor as ferramentas digitais web, email, icq, browser, editor de texto, redes p2p, pa' e tal.

Cada um cada, um mas acho q so' depois de fazer a correria ganhando mais (gracas a web) pra garantir o rango na mesa todo dia, neguinho vai se empolgar no lance web como ambiente de informacao e conteudo livre, autoral e fragmentado.

E' embacado ou nao e'?


\//
Tupi


Acessa SP

30.07.2002 - Msg de estraviz,

pr,

comentários duca. Eu também estou nessa crise e me veio uma idéia concreta pro metáfora : Estou há um ano trabalhando com os infocentros do Acessa São Paulo. S‹o 58 lugares espalhados pela periferia, em associações comunitárias. O passo de dar acesso à perifa foi dado, mas o salto que que queria dar, ainda não aconteceu e tenho sérias dúvidas que aconteça a não ser que se bole alguma coisa.

http://www.acessa.sp.gov.br

Um dos caminhos que estou buscando é que contratem o hernani como consultor, pra gerar as "conversações" com os monitores. Por outro lado, falei com o Centro de Voluntariado de Sampa pra que encontrem jovens micreiros que se voluntariem pra ir, ao menos uma vez por semana a algum dos 58 infocentros e ficarem responsáveis por ampliar as publicações locais de artigos.

Acho que o metáfora poderia entrar mais a fundo nisso, topam ? vejo quer a principal dificuldade é justamente fazer com que os usuários se apropriem dessa tecnologia a seu dispor, pra mudar as coisas, pra reinvidicar, pra criar grupos de discussão, etc ...

Que tal um brainstormizinho rápido pra que eu apresente aqui pros caras ?
E aviso, a coisa não rola só no virtual. São nos encontros reais que a galera se movimenta, no dia a dia. Isso é um fato que comprovei neste ano. Talvez com mais tempo de uso, a galera se habitue ao virtual, por enquanto ainda não. Idéias ?

abs,

estraviz


Re: Acessa SP

30.07.2002 - Msg de Paulo Colacino,

Galera

Valeu aí pelas respostas as minhas indagações. As vezes acontece  isso. É a velha mentalidade acostumada ao mundo quadrado, regrado,  parametrizado (SAP!), ordenado... A caordem e o caos as vezes bagunçam os neurônios.

Só que naum sei se é um momento meu... mas estou um pouco mais voltado para o social e pra esse monte de gente que naum tem merda nenhuma... Falar de Palms, Celulares, m-logs para facilitar a vida das pessoas soa pra mim como naum se preocupar com essa MAIORIA excluída. Sim pq somos a minoria e eu mesmo naum tenho mais Palm nem celular wap, 2,5G, etc.

Entaum as vezes me confunde as idéias quando de um lado falamos em  Metacomunidades e de outro estamo pensando lá na frente em coisas que  esse POVÃO vai estar longe de poder usar. Mesmo com micro popular, simputer, redes livres entrando na parada.

Penso mais em educar para que essas pessoas encontrem o AUTO-DESENVOLVIMENTO e soluções para os lugares que moram.

Sei que tbm essa coisa toda corre em paralelo. MetaComunidade de um lado, m-logs de outro... mas o choque aconteceu e acabei escrevendo.

É isso aí.

To aprendendo ainda.

( ) 's
PR


-> Arquivo: 27.3.2012 : Reflexões: Capítulo "Dos Celulares Pré-Pagos e Pós-Pagos"
-> Arquivo: 5.3.2012 : Questionando projetos de acesso à internet na periferia
-> Arquivo: 4.1.2012 : Fotos do reveillon nas favelas do Complexo do Alemão
-> Arquivo: 4.1.2012 : Sacrifício de uma geração
-> Arquivo: 6.10.2011 : TV mostra escravos nordestinos explorados pelo Governo de São Paulo para construir escolas
-> Arquivo: 8.9.2011 : Curso de chinês de graça para estudantes da periferia 
-> Arquivo: 25.7.2011 : Re: Reconhecimento de diferenças rompe desigualdade nas escolas
-> Arquivo: 25.7.2011 : Re: Chutando o pau da barraca
-> Arquivo: 25.4.2006 : Fábrica de Criatividade, Capão Redondo, matéria no Estadão
-> Arquivo: 28.2.2006 : Movimento FON recebe investimento do Google e Skype, notícia no Wall Street Journal
-> Coletando : Mercado Livre : Busca : Internet, Tablets, Smartphones e Tv a Cabo

Re: Rap-rpmedia

rap is cnn or something

Msgs sobre rap e hip hop na Lista Metafora (Telecentros) em 2003.

Re: rap-pmedia

24.03.2003 - Falai' maratimba, metaforas,

maratimba escreveu:
oficina de producao musical - hip-hop e musica eletronica misturar apresentacao de artistas e capacitacao cruzar a periferia com produtores, nao necessariamente do centro, mas que em grande parte sao do centro sim
Se pam a conversinha das historias pessoais registradas no drupa vira letra de uma pa' de rap q e' daquele jeito.
Ta' ligado q naquela correria q milianos o Public Enemy ja' versava: rap e' a cnn dos pretos!

1-2 neguinho se joga no freestyle usando os coments do memelab, tem o dom?

Fui, nem me viu!

Nao me acompanha q nao sou novela :-)

\//
Tupi


Re: Re: rap-pmedia

24.03.2003 - Falai' maratimba, izq, metaforas,

Maratimba falou:
mas tava pensando mesmo em buscar gente boa que produz musica com tecnologia. Esse pessoal, ate onde eu sei, ta concentrado do lado de ca.

Ta' ligado q em producao e tecnologia musical nao e' so' a playboizada q tem o dom nao... milianos os musicos, produtores, djs, selos e gravadoras do lado de ca da ponte mandam bem q e' daquele jeito.

Liga nois q nas quebradas gravar master, fita e cd no puxadinho da goma e' de milianos. Se pam ouvi uma historinha d q o ultimo cd do Rzo foi todo feito em cima daquela laje em pirituba, daquele jeito. Neguinho cata a MPC emprestada e se joga, dois palitos e e' nois na fita!

MPC  da Akai e' o bagulho de fazer musiquinha q a banca paga um pau. De repentemente vc tromba com um desses em cada posse, li em algum lugar q o Ice Blue trouxe um MPC na sacola qdo voltou da gringolandia... pessoal do instituto ensinou o esqueminha, 1-2 valeu, vaza, agora deixa com os manos :-)

http://www.akaipro.com

E' copyright, hardware integrado uscambau mas fez a fama, sentiu firmeza?

Izq falou:
putz, eu já tinha vislumbrado a cena. répi é midiatática desde criancinha.
Milianos, se pam o copyleft comecou qdo o Africa Bambaata, fim dos anos 70, usou o disco do Kraftwerk sem pedir licenca como base pra versar em cima e dominar as festas do gueto. Demorou!
"periferia, trabalho, determinação" ou algo assim.
Procedimento? Vixi, ta' no lema da gavioes :-D

Fui, nem me viu!

\//
Tupi


-> Arquivo: 11.4.2012 : Assistindo TV a cabo grátis no tablet iPad e no celular iPhone
-> Arquivo: 9.3.2012 : Funk Paz para os Camelôs
-> Arquivo: 5.3.2012 : Seu nome com letras de graffiti e pixação no Facebook 
-> Arquivo: 14.11.2011 : Nossa língua brasileira
-> Arquivo: 8.9.2011 : Curso de chinês de graça para estudantes da periferia
-> Arquivo: 5.9.2011 : Funk do Capão Redondo no YouTube e no Estadão 
-> Arquivo: 9.8.2011 : Re: Carta Capital - Brown o mano charada
-> Arquivo: 1.8.2011 : Thaide entrevista Mano Brown na TV (Capão Redondo)
-> Arquivo: 7.7.2011 : Guetostar, de volta eu tô no rap
-> Arquivo: 9.10.2006 : Midia autônoma e comunitária na Favela Heliópolis
-> Arquivo: 6.9.2005 : Festa na Favela Godoy para gravação do DVD
-> Busca no Mercado Livre : Rap, DVDs, Hip Hop, Funk e Smartphone
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...